Páginas

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Cliques de janeiro

Eu já comentei que perdi totalmente o hábito de fotografar depois de alguns anos de faculdade, um dia desses eu estava fazendo uma varredura no arquivo aqui do blog pra encontrar fotos antigas que eu não tenho mais em outros lugares e fiquei impressionada com algumas imagens que eu capturei com 12, 14, 16 anos e fiquei com ainda mais vontade de voltar a praticar a fotografia, então resolvi fazer uma post mensal de cliques, espero que eu consiga superar o que eu produzia quando mais nova!






Eu  passei o inicio do ano na casa da minha madrinha na cidade de Santo André, todos os cliques acima foram feitos na casa dela e bem próximo ao meu primeiro estilo fotográfico que é mais minimalista, outra coisa que eu quero fazer em relação à fotografia é estudar um pouco mais de técnica e de estilos.








Essas fotos eu tirei no dia que fui na República onde meu irmão mora, também em Santo André, também fomos na Av Paulista, fui no Parque Trianon, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional e até em um pedaço do MASP, mas ainda estava tímida para tirar fotos de pessoas e entre pessoas.




Essas ultimas fotos que, a propósito, foram minha preferidas foram tiradas em Andradina na casa da minha mãe por volta do dia 31 quase caindo fora do mês, vocês podem perceber que eu continuo amando sol, texturas, plantas e desfoque, vem com tudo 2019!

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Metas para 2019


Eu pensei em escrever esse post, depois desisti, depois pensei de novo, e deixei pra depois, também fiquei super empolgada com voltar pra cá, e depois desanimei, eu tenho muito esses autos e baixos na minha vida, mas eu já falei que eu tenho esse problema de não tentar por medo de me frustar e to lutando contra isso, e uma das formas de fazer isso é continuar no blog, e outra é criar metas pro ano que está começando.

Então esse post é sobre isso, minhas metas pro ano de 2019, eu decidi estabelecer metas bem realistas e materiais no sentido de serem palpáveis, possíveis e verificáveis. Eu esperava muito pouco de 2018 e foi um ano maravilhoso, e eu acredito que com mais organização e disciplina eu posso conquistar ainda mais felicidade.

O post ta aqui pra registrar e eu pretendo colocar essas imagens em um mural pra ter o lembrete constantemente no meu campo de visão, que foi um dica que eu vi por ai.



1.Continuar a Terapia

Uma das metas de 2018, ainda que eu não tenha firmado muito bem esse acordo comigo, era começar a terapia, primeiro porque é uma coisa muito importante pra qualquer estudante de psicologia passar pela experiência de ser atendido por um profissional da área e dar a devida atenção à sua saúde mental pra poder dar atenção pra saúde mental de outras pessoas nos seus estágios e depois da graduação na sua atuação profissional; segundo porque como eu também já comentei aqui a vida acadêmica me adoeceu um pouco e me fez perceber as questões que eu já trazia ha mais tempo e eu sabia que eu não conseguiria lidar com isso sozinha, então eu fui atrás de ajuda profissional. Eu fiz 3 meses de terapia com uma psicanalista que foi bom em alguns pontos mas eu acabei tendo alguns problemas com o atendimento e busquei outra, fiz 5 sessões com uma terapeuta cognitivo-comportamental e tive que interromper o atendimento por causa do período de férias mas pretendo continuar com ela assim que volta pra Catalão. Fazer terapia talvez tenha sido a coisa que mais me ajudou a resgatar minha essência e me encorajou a voltar a ter esperança e querer planejar e buscar metas, então continuar nela é garantir que vou continuar nesse caminho cuidando do meu futuro e da minha saúde mental.


2. Parar de comer carne

Eu nem lembro quantos anos eu tinha quando eu disse pros meus pais na mesa que eu não queria mais comer carne, porque "tadinhos dos animais" minha decisão não durou muito mas a vontade nunca morreu, eu continuei comendo carne, mas fui amadurecendo a ideia, por muito tempo eu acreditei que não tinha maturidade pra administrar uma dieta sem carne que não me fizesse ficar doente (pra ser sincera, eu não tinha maturidade nem pra administrar um dieta com carne que não me fizesse ficar doente), e quando eu era mais nova e morava com meus pais eu era extremamento enjoada com comida, não comia folhas, pouquíssimos legumes, a unica coisa que eu nunca tive restrições e comia até mais do que meus pais gostariam eram frutas, então quando eu comecei a experimentar mais coisas e encontrar interesse em sabores dissociados da carne eu comecei a perceber que o ovo-lacto-vegetarianismo parecia mais possível, então em 2018 eu diminuí ao máximo meu consumo de carne, um facilitador foi o restaurante da minha universidade que oferece opção vegetariana de prato proteico. Eu coloquei como meta pro ano parar de comer carne sem muita pressão planejando que até o final de 2019 eu tenha parado, mas por enquanto (e eu sei que ainda é dia 8 mas) não comi nenhum tipo de carne esse ano, espero continuar assim.

3. Me exercitar regularmente

Me exercitar foi algo que eu tentei começar em 2018, inclusive correr, que foi algo que eu sempre achei estranho (kkk) mas que eu descobri que me faz muito bem física e psicologicamente, mas acabei tendo algumas dores de cabeça e parei, mas assim que eu passar por um médico que possa me orientar em relação a isso eu pretendo começar novamente.

4. Ter controle financeiro e guardar dinheiro

Essa é a meta de todo ano e todo mês não é mesmo hahahah mas eu fiz alguns planos que pra cumprir eu preciso de algum fundo e acho que conseguirei atingir meus objetivos se tudo correr como planejado (inclusive acho que vou fazer meus money jars porque é bonitinho demaaaais.

5. Aprender Espanhol.

Eu concluí meu curso de inglês em 2018 (!!!!) e já faz um bom tempo que eu tenho vontade de aprender espanhol pra ter um mais fácil acesso a cultura sul-americana e quem sabe poder viajar pra países mais próximos logo, a América do Sul tem lugares maravilhosos!

 6. Me Formar

Eu já achei que eu precisaria de pelo menos 6 anos pra me formar mas 2018 colocou tudo nos eixos de um jeito (reparem em todos os encaminhamentos de metas) e me fez me sentir que eu to num lugar tão certo e tão bem encaminhada, entendendo o que posso aproveitar de cada vertente teórica, em que área quero atuar e sobre o quero pesquisar pro meu TCC e já não tenho mais tantas disciplinas atrasadas, só tenho uma do núcleo comum e uma de núcleo livre(uma disciplina que eu posso escolher!), e dois semestres pra cumprir. Então a meta ta aqui pra lembrar que eu posso concluir essa fase da vida esse ano!


Também tem algumas coisas pontuais que eu planejei, de menor magnitude como ir ao festival João Rock (pelo 4º ano seguido), fazer duas tatuagens (Universo no potinho e Leão Mandala) Comprar um teclado (finalmente?), me dar um ensaio fotográfico de presente (uma questão de auto-estima) e fazer uma viagem (que ainda não ta muito definida mas deve ser pra chapada dos veadeiros ou alguma cidade turística de goiás pra minha despedida do estado.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Imagens raras de um ano incrível

























Sobre 2018

Estou de volta e pra falar sobre esse ano que esta se encerrando. Apesar dos pesares, aconteceu muita coisa boa e acho que foi uma dos melhores anos da minha vida ate hoje. Eu quero acima de tudo falar sobre tudo de bom que aconteceu em 2018. No ano anterior eu fiz um caderno digital que eu registrava coisas pra ser grata, mas esse ano eu não consegui manter esse esquema, porém assim que eu comecei terapia eu voltei a escrever e fui desenvolvendo meu método de organização, planejamento e registro através do ano. Eu tive 3 caderninhos de brochura, chamei eles de minha vida (1, 2 e 3) e terminei num esquema básico de fazer uma lista diária-semanal de coisas que eu tinha que fazer e escrever livremente quando me dava vontade. Era um Journal-Planner-Diário, sei la, mas vou continuar chamando de minha vida, porque é até engraçado quando eu digo "quase esqueci minha vida na sala do quinto período", "poxa eu ia trazer minha vida e esqueci".
Eu viajei, mais que nos últimos anos, em janeiro eu fui pra Iporanga faz passeios em cavernas e cachoeiras. Fui pra Ribeirão Preto em julho pro Festival João Rock, que ja virou uma tradição na minha vida e foi o terceiro ano seguido que eu fui no festival e o segundo que teve show da Pitty maravilhosa Rainha do mundo todinho. Passei meu aniversário em agosto com a minha família em Andradina pela primeira vez desde que eu comecei a faculdade, além de ter vindo a São paulo em setembro pra acompanhar minha mãe em uma consulta medica, e mais uma vez e novembro pro Congresso Brasileiro de Psicologia quando eu tive a oportunidade de assistir trabalhos de acadêmicos que estudam a mesma are que eu - Psicologia Escolar- e foi extremamente enriquecedor e gratificante pra mim. Também fui a Palmelo em Goiás pra um atividade de campo de uma disciplina que eu estava fazendo pra conhecer as Ruínas de um manicômio e a forma como a atenção à saúde mental é realizada na cidade atualmente, com Residências terapêuticas e o CAPS. E pra fechar, pela primeira vez desde o inicio da faculdade estou tendo ferias reais de mais de 15 dias, então passei uma semana em Andradina e depois vim pra Santo André e ainda tenho mais 2 meses de descanso pela frente.
Eu uso 1 alargador de 10 mm e 4 brincos em cada orelha, mas sou a pessoa mais desastrada e vivia perdendo meus brincos, mas dessa vez, desde agosto de 2018 estou com todos os brincos e não perdi mais nenhum, então, essa já é um motivo pra comemorar pra mim kk, além disso, em dezembro tomei coragem e coloquei meu piercing no smile e me animei demais pra fazer minhas duas próximas tatuagens.
Curti muito a natureza esse ano, que é uma coisa que eu amo, seja olhando as estrelas, o pôr do sol, o bosque de Andradina, a mata de Catalão, o Parque da Água Branca em São Paulo, me traz uma paz e uma purificação, acho que me cura de todo o peso que a vida traz.
Eu toquei muitos instrumentos inclusive guitarra e baixo que eu nunca tinha tocado na minha vida participei de muitas apresentações intensas mas que eu amo participar.
Uma das minhas melhores amigas da faculdade se tornou mãe e deu a luz ao menino João Vicente então meu amor por ela se estendeu pro pequeno baby.
Teve a festa de 500 dias da minha turma pra me lembrar que ano que vem provavelmente eu me formo, e eu desenvolvi varias atividades praticas e externas à universidade e me senti muito mais preparada e senti que a psicologia realmente faz a diferença na vida das pessoas.
Criei e fortaleci laços, me entendi melhor, me conheci melhor, comecei a fazer terapia, e desisti e tentei de novo e sigo firme. Percebi uma evolução muito grande nesse ano vejo muita potência pra 2019 ser ainda melhor que 2018 foi!
Um ano novo incrível pra nós!

Um retorno, uma explicação.

Eu não sei nem por onde começar, ou melhor, sei sim: Oi, aqui é a Bê! Faz séculos que eu não posto de novo e primeiro eu vou tentar explicar porque, o que aconteceu e porque eu voltei.
Em 2015 eu mudei de estado, eu fui morar sozinha e fazer faculdade em um cidade totalmente nova onde eu não conhecia ninguém, era tudo que eu queria na época e no começo foi ótimo, mas o tempo foi passando e eu não vou nem saber apontar exatamente o que foi que aconteceu mas eu mudei. Não vai ser hoje que eu vou escrever um texto específico sobre isso mas o sistema educacional do Brasil é bastante cruel, então no ensino médio eu estudava numa escola em que a unica possibilidade era entrar numa Universidade pública, e eu me cobrava muito, e a época das provas de vestibular então era tão adoecedor que nessa época eu tinha paralisia do sono com frequência, acho que também foi quando eu comecei a trocar o dia pela noite, então quando eu passei e entrei numa universidade federal eu acho que minha mente tava tão exausta que não queria mais provar que era melhor que ninguém, não queria nem ouvir falar de competição. Eu queria só estudar. Estudar o que eu gostava de estudar e viver as novas experiências mas quando eu comecei o curso pra valer eu percebi que a academia é perfeitamente igual ao sistema educacional que da acesso a ela, o mesmo tipo de relação professor aluno, o mesmo tipo de avaliação, o mesmo clima de competição e ranqueamento dos melhores segundo sua notas. Eu quis simplesmente ignorar tudo e fazer tudo no meu ritmo, se eu demorasse um ano a mais pra formar tava tudo bem. Mas meu ritmo não tava bom pra academia e minha auto-estima intelectual começou a cair, meu sono desregulado me prejudicou muito e eu fui vendo minha timidez se transformar em ansiedade social com sintomas físicos. Eu vi minha auto estima cair ao ponto de eu parar totalmente de criar expectativas por medo de me frustrar, no sentido de desejar algo e planejar isso, e a própria psicologia explica que quem não deseja não vive, e eu acabei me acostumando com a frustração do não viver, eu fazia sempre o minimo necessário.
Eu fui percebendo isso quando eu comecei a terapia e eu voltei a escrever, voltei a planejar e a desejar e isso me fez voltar a viver, e acreditar na minha capacidade. Eu sei que eu não preciso competir contra ninguém pra oferecer o meu melhor, eu posso tentar ser melhor que ontem, e as vezes pode não dar, mas outras pode dar. 
Eu quero voltar porque eu conheci e participei de milhares de coisas novas que eu quero compartilhar, conteúdos, canais, ideias, quero voltar a fotografar, tenho projetos pra apresentar, quero trazer minha vida de volta pro meu refúgio, espero que vocês gostem e mais que tudo espero que me faça bem.