Páginas

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Sou poesia

Eu acho que eu sou poesia.
Meio narcísico né?
É que eu vejo beleza em tanta gente, de tantos jeitos que comecei a acreditar naquela frase. São meus olhos. Podem ser, se eu me conheço bem.
Não podem ser todos eles.
Todos os homens de Dread ou rastafari ou cabelo comprido. Todas as minas de Dread, rastafari, black, cabelo curto, comprido e colorido. O simples fato de ela não usar Maquiagem e vestir roupas meio masculinas, quase sempre usar o cabelo preso. Parece uma indiazinha. Ou usar um vestido com all star e ser linda. Linda. Linda.
Tatuagens. Tatuagens e piercings. E alargadores. Micro dermais.
Camisetas de super heróis por baixo de camisas xadrez. Ou algum logo de marca modificado, trocadilhos, seriados, bandas. Mesmo que eu não escute essa banda, você é lindo/linda usando essa camiseta.
Homens de saia. De vestido. Meninas de camisa, calça. Gente fora do padrão.
O "Paulixta" dos cariocas, o "guria" dos gaúchos, o "oxente" dos baianos, o "meo" os paulistanos.
Tudo me apaixona, o tempo todo. 
Não pense que é fácil
Ser poesia.

Um comentário:

  1. Simplesmente amei . Conseguiu passar muito bem no seu texto o que a sociedade precisa ouvir .

    Beijos

    cancoeseflores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Comente e sinta-se abraçado (=