Páginas

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Vinte Minutos


Eu sou uma idiota - pensei - o que eu to fazendo nessa festa?Eu vim aqui pra ver aquela mimada ficando com o garoto que eu gosto?, no meio da pista de dança, eles não param de se agarrar, como eu sou idiota!"vai lá, Mi, pra se divertir um pouco, você estuda muito" inferno, estaria melhor com meus livros nesse momento.
Essa música agitada, esse cheiro da fumaça, a luz piscando o tempo todo, já to ficando tonta, eu tenho que sair daqui - e saio, esbarro em todo mundo, derrubo alguns copos, e nem assim alguém me nota. Lá fora, a escuridão, o som abafado, um vento gelado, sento na calçada. As mãos escondem meu rosto em lágrimas, a maquiagem toda borrada.
-Milena? -alguém toca meu ombro, deixei de ser invisível - você tá gelada.
Julian tira sua blusa
-Sai daqui Julian, volta pra festa vai.
-Eu não curto esse som - ele colocou a blusa em minhas costas - nem to com vontade de beber, e não tem ninguém legal la dentro
Sorri ao ouvir ele falar assim da maioria de seus amigos
-Que é que você tem hein?
-Também, não curto esse som, não bebo e o cheiro da fumaça tava me enjoando.
-Me surpreendeu em vir nessa festa, você nunca vem, não sei porque.
-Na maioria é porque não me chamam mesmo, só que ninguém percebe, nas outras é porque eu estou ocupada estudando, terminando algum trabalho ou coisas do tipo.
-Que chato... - olhei pra ele - ... não te chamarem. E hoje, não tinha nada pra fazer?
-É...
-ou foi porque foi o Caio que te chamou?
Olhei pro lado oposto depois baixei a cabeça, uma lágrima caiu de cada olho
-Desculpa...
-Eu gostar de um idiota? - interrompi - não é sua culpa
Ele se aproximou, pegou a barra da blusa dele pra enxugar meu rosto
-Vai sujar...
-Tudo bem.
Ele limpou os dois lados do meu rosto
-Você fica bonita sem maquiagem.
-com os olhos vermelhos também? - esbocei um sorriso. - eu sou uma idiota né?
-Só um pouquinho - ele sorriu, eu também
Olhei seu rosto e me levantei, ele se levantou e olhou meus olhos.
Segurei sua mão e me aproximei
-Você gosta dele - ele me interrompeu, de cabeça baixa
-Sim - eu disse.
-Eu espero - ele disse voltando a olhar meus olhos
-Ma eu não - conclui.
Passei meu braço envolta de seu pescoço e o beijei, não só porque ele merecia mas porque eu também queria, ele era uma pessoa ótima e havia cuidado de mim, havia me conquistado em 20 minutos.

2 comentários:

  1. Achei lindo o conto *-* Ás vezes não percebemos as reais pessoas que deveriam nos interessar não?!

    Beijos ><

    ResponderExcluir
  2. você escreve mega-bem! lindo o conto. *-* amei, mesmo ((: as vezes o que nós procuramos está bem perto de nós e nem percebemos.
    seguindo aqui.
    bjs :*

    ResponderExcluir

Comente e sinta-se abraçado (=