Páginas

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Discussão =/= Briga

Eu sei que eu postei duas vezes ontem, mas que culpa eu tenho se um período tão curto é tão mais produtivo intelectual e culturalmente do que outros mais longos? Vamos ao texto
 Uma correção a um colega me levou a esse pensamento, acho que meu amor a filosofia fica bem evidente nessa ocasião.
A discussão inicial era se eu deveria ou não corrigi-lo quando percebesse um erro não intencional em sua ortografia, e enquanto eu insistia que o fazia pra ajudá-lo ele insistia que eu deveria parar. Porém me mostrei disposta a parar diante de sua vontade ele se retraiu e para não sair como o ‘chato’ da história deixou a decisão comigo, disse depois que de qualquer jeito daria o braço a torcer primeiro (e ele tinha razão porque não me dou por vencida quando sei que tenho razão), mas justificou-se que não gostava de discutir sem um propósito essencial, sem um motivo muito forte como quando encontrava alguém com uma ideia muito errada.
Refleti então sobre a concepção da palavra discussão, ali usada como sinônimo de briga. Introduzi dizendo que apenas expressava minha opinião, discorri que no então hoje em dia usava-se discussão como sinônimo de briga, mas aquilo não era o correto, que as brigas sim deveriam ser evitadas e eram uma atitude errada, mas as discussões eram um habito saudável onde os indivíduos transmitem seu conhecimentos uns para os outros, cada um forma a sua opinião e acabam também conhecendo-se melhor.
Concluí então que eu gostava de discutir com pessoas que não transformavam qualquer discussão em briga.
Meu colega compreendeu e concordou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e sinta-se abraçado (=