Páginas

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

No Acampamento

Eu só e simplesmente não sabia o que fazer não sabia o que pensar, aquele acampamento parecia um pesadelo e meu único desejo era sumir no meio daquela floresta e nunca mais aparecer, caminhei até o lago, sentei em uma pedra e fiquei a olhar aquela pequena imensidão de água, tentando perceber qualquer movimento que denunciasse a vida ali existente, nada.
Acordes, acordes de violão, comecei ouvir aquela música, longe e  tímida, Só os Loucos sabem, não me virei.
 "Agora eu sei, exatamente o que fazer, vou recomeçar pode contar com você"
O som e a voz se aproximavam, minhas lágrimas corriam
"eles dizem que é impossível encontrar o amor sem perder a razão, mas pra quem tem pensamento forte o impossível é só questão de opinião."
Em algum lugar, não me virei pra ver qual, ele parou e terminou a música
"O Homem quando está em paz não quer guerra com ninguém..."
Enxuguei minhas lágrimas. Ele veio até mim sem o violão, sentou-se ao meu lado, não me cobrou palavras, nem mesmo um sorriso apenas me ofereceu o ombro, abracei seu corpo, ele beijou-me a testa e foi assim que então, nos beijamos pela primeira vez

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e sinta-se abraçado (=